Conheça os 7 principais sinais de surdez

Conheça os 7 principais sinais de surdez

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil há 28 milhões de pessoas com surdez. Grande parte dessas pessoas não procuram ajuda médica por falta de informação, por não admitir a perda auditiva, ou ainda, por não ter acesso às informações sobre a relevância do assunto.

Um fato frequentemente ignorado é a redução gradativa da audição provocada pelo envelhecimento natural e que ainda é vista como algo irreversível ou sem possibilidades de intervenção. Assim, muitos idosos e seus familiares não buscam solução para o problema.

Nesse sentido, falar sobre a surdez e as suas consequências é de fundamental importância. Por esse motivo, elaboramos este artigo no qual abordamos os principais aspectos da perda auditiva, bem como os sinais mais comuns que alertam sobre a existência desse processo. Continue a leitura para saber mais!

O que é surdez

A perda auditiva ou surdez se refere à perda parcial ou total da audição que dificulta a compreensão e a comunicação. Ela pode ocorrer por causas congênitas, adquiridas por traumatismo, predisposição genética ou doença que afete este órgão.

Alguns medicamentos, como antibióticos, também podem gerar a alteração. Os tipos de perda auditiva são classificados como:

  • condutiva — interfere na condução do som desde o conduto auditivo externo até a orelha interna;
  • neurossensorial — impossibilidade de recepção por lesão na orelha interna ou no nervo auditivo, sendo irreversível;
  • mista — perdas condutiva e neurossensorial;
  • central — manifesta-se por diferentes graus de dificuldade na compreensão das informações sonoras.

Os diferentes níveis de perda auditiva são identificados em graus de limiar auditivo em decibéis (dB) de acordo com a severidade, conforme podemos verificar a seguir:

  • sem perda auditiva (0 a 25 dB) — sem dificuldade aparente;
  • leve (26 a 40 dB) — dificuldade de manter um diálogo em ambientes com muito barulho;
  • moderada (41 a 55 dB) — dificuldade em ouvir a fala quando há ruído de fundo e necessidade de aumentar o volume da TV ou do rádio;
  • moderada a severa (56 a 70 dB) — necessita de fala em tom alto e apresenta dificuldade para conversar em grupo;
  • severa (70 a 90 dB) — só ouve a fala em tom muito alto e faz uso de leitura labial. Alguns pacientes também adotam a língua de sinais (Libras);
  • profunda (+95) — dificuldade de ouvir e entender a fala mesmo que seja amplificada. Uso da linguagem labial e/ou língua de sinais.

Conheça os sinais da surdez

Na maioria dos casos, o paciente não percebe que está perdendo a audição. Isso porque as pessoas não relacionam a maioria dos outros sintomas, como dificuldades de manter a atenção, isolamento social, depressão, entre outros, com a surdez.

Normalmente, a dificuldade começa na percepção de alguns sons para a fala, como os agudos. Dessa forma, é comum as pessoas comentarem que “escutam, mas não entendem”. Isso ocorre pelo fato de ouvirem mais as vogais, que apresentam sons graves, do que as consoantes, que têm sons agudos, causando confusão no sentido das frases.

A surdez no idoso se caracteriza pela perda progressiva e simétrica da audição de alta frequência de modo lento e gradativo. Pode vir acompanhada também de vertigem, zumbido e desequilíbrio. Veja a seguir alguns dos principais sinais de alerta!

1. Dificuldade para se comunicar em lugares ruidosos

Isso ocorre, principalmente, pela dificuldade de escutar em lugares com ruídos, como em shoppings, festas, feiras, entre outros. Os sons de fundo exercem grande influência nas pessoas em todos os níveis de perda auditiva e reduzem a compreensão da fala.

Por esse motivo, é importante observar se a pessoa fica indisposta para conversar em ambientes barulhentos ou demonstra não compreender o que as outras pessoas dizem.

2. Leitura labial durante a conversa

As dificuldades na comunicação são um dos principais sinais da perda auditiva e, normalmente, são iniciadas com o não entendimento da fala. Muitas vezes, a pessoa ouve, mas não consegue compreender as palavras. Nesses casos, é comum pedir para repetir o que disseram por diversas vezes.

Outro ponto que merece atenção é quando há entendimento apenas quando falam de frente para a pessoa, utilizando a leitura labial como ferramenta para ajudar na compreensão.

Também é comum a dificuldade de entender vozes femininas ou de crianças ao telefone (que costumam ser sons mais agudos). Com o tempo, esse problema piora e passa também a ocorrer durante os diálogos presenciais.

3. Escuta de zumbido

O zumbido pode ser escutado por diferentes tipos de sons que não se relacionam a nenhum estímulo sonoro externo, como cliques, toques ou chiados. Podem ainda ser contínuos ou intermitentes, causando estresse e desconforto.

Embora ele não seja umas das causas da perda auditiva, o surgimento desses ruídos pode ser um sinal de alteração da via auditiva, responsável por conduzir os sons para o cérebro.

Powered by Rock Convert

4. Tem intolerância a sons intensos

Um aspecto muito comum em pacientes com perda de audição é a hipersensibilidade paradoxal em relação aos sons altos. Por exemplo, quando os idosos se queixam do alto volume que, na verdade, se encontra em níveis normalmente tolerados por pessoas com audição normal.

Isso explica o motivo pelo qual falar muito alto com pacientes surdos pode ser prejudicial. Conforme já comentamos, as vogais de frequências baixas são ampliadas, enquanto as consoantes permanecem inaudíveis, o que pode causar um grande desconforto para o paciente.

Dessa forma, é importante observar que a surdez em idosos, o problema se relaciona muito mais às frequências do som do que propriamente à intensidade. Portanto, gritar só faz sentido se o paciente apresentar outras causas para a perda auditiva, como um excesso de cera no ouvido que pode obstruir a passagem do som.

5. Dificuldade para ouvir aparelhos eletrônicos

Uma mudança de hábito muito comum se refere ao som da televisão e do rádio. O indivíduo passa a ter dificuldade para escutar os aparelhos eletrônicos e começa, gradativamente, a apresentar necessidade de aumentar o volume.

Quando as músicas do rádio e programas de TV são acompanhadas por ruídos ao fundo, por trás das falas, dificulta ainda mais o entendimento do que está sendo dito.

6. Isolamento social

A dificuldade em escutar provoca o isolamento social, causando um grande impacto na vida da pessoa, levando inclusive à baixa na autoestima. Para evitar situações constrangedoras, é comum o idoso perder o interesse em compartilhar pensamentos e sentimentos.

7. Depressão

A limitação que a pessoa sente para fazer coisas simples, como ir ao cinema, assistir TV ou se reunir com os familiares, somada à sensação de inutilidade, pode provocar um estado depressivo.

Nesse caso, muitas vezes é necessário um tratamento multidisciplinar envolvendo vários profissionais especializados, como otorrinolaringologista, fonoaudiólogo e psicólogo a fim de auxiliar o paciente.

Importância do diagnóstico

Grande parte das pessoas que possuem problemas auditivos não sabem que têm esse problema ou não tomam a iniciativa de procurar o auxílio de um profissional especializado.

A surdez é uma experiência difícil. Para lidar com indivíduos que estão passando por isso, é imprescindível que as pessoas mais próximas fiquem atentas aos sinais e busquem ajuda de um médico especialista com o objetivo de indicar o tratamento adequado.

É importante ter em mente que já existem soluções para quase todos os tipos de surdez, como aparelhos auditivos com alta tecnologia, próteses e implantes cocleares. O uso diário do dispositivo de audição e o apoio da família são fundamentais para que o essas pessoas consigam resgatar a autoestima e qualidade de vida.

Conforme pudemos verificar, a surdez é capaz de provocar graves consequências, principalmente para os idosos, com a perda da qualidade de vida. Portanto, é imprescindível ficar alerta aos sinais e buscar um bom profissional da saúde para análise e diagnóstico, bem como evitar a automedicação.

Gostou deste artigo? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter para manter-se informado sobre esse e outros assuntos relacionados à saúde e bem-estar.

Digite seu e-mail para receber as melhores dicas sobre
reabilitação auditiva, zumbido e aparelhos auditivos.


agendar consulta, agendamento de consulta, avaliação auditiva, avaliação auditiva gratuita, agendar avaliação auditiva gratuita, consulta surdez, consulta aparelho auditivo, consulta fonoaudiólogo
[/vc_column]
[/vc_row]

9 Comentários
  • Célia Regima Malheiro

    Gostaria de receber proepecto com modelos e precos de aparelhos para surdez com dificuldade de entendimento.

    16:02
    reply
  • Nilza Maria Sardinha Ribeiro.

    Excelente!

    08:02
    reply
  • Rudimar

    Moro em Sapucaia do Sul/RS. Algum contato próximo.

    20:04
    reply
  • Vera Castro

    Tenho o aparelho…quase não o uso…precisava que fosse aumentado o som…dependo de convênio….

    10:04
    reply
Publicar um comentário
Name
E-mail
Website

Agende seu teste gratuito

Informe seus dados que entraremos em contato com você!