exame auditivo

Exame auditivo: como é feito e como a Comunicare pode ajudar

O exame auditivo é muito importante porque ele ajuda a identificar se o paciente precisa fazer uso do aparelho auditivo ou não. Se necessário usar um equipamento de auxílio, o exame também vai apontar o tipo de aparelho mais adequado ao paciente.

Além disso, a audiometria também ajuda a levantar o diagnóstico e o prognóstico, tendo em vista que muitos fatores podem contribuir para a perda auditiva. Dessa forma, é possível sugerir medidas preventivas para evitar o agravamento da irregularidade.

Neste artigo, vou explicar como o exame auditivo é realizado e como a Comunicare pode ajudá-lo nesse processo. Acompanhe!

Como funciona o exame auditivo?

O exame de audiometria é feito no audiômetro, na cabine acústica ou em uma sala acusticamente tratada (sala isolada). O paciente coloca um fone e os profissionais avaliam a menor intensidade que o indivíduo ouve de cada som (em diferentes frequências). Assim, eles conseguem traçar a “linear auditiva”.

Com base nisso, o diagnóstico é feito para descobrir se a pessoa tem uma perda de audição e qual o grau dessa perda (leve, moderada, severa ou profunda).

Esse exame determina a perda auditiva, enquanto os outros exames, como a imitanciometria — que é complementar à audiometria —, avaliam o funcionamento da orelha média, verificando casos de doença ativa e se existe algo que causa o impedimento da passagem do som para a orelha interna. Eles não trazem um diagnóstico de perda de audição, apenas mostram o funcionamento da orelha média.

Você pode fazer o audiômetro sem a imitanciometria, porém, a audiometria é o único exame que fornece o “linear” de audibilidade do indivíduo.

Também existem mais dois tipos de exames muito utilizados:

  • o “tonal”: que indica a mínima intensidade que o paciente ouve em diferentes sons e frequências;
  • o “vocal”: que determina qual a porcentagem de entendimento de fala que o paciente tem.

Esses exames são muito válidos, pois ajudam a determinar o real impacto da perda em seu dia a dia. Dizer para uma pessoa que ela tem uma perda moderada pode não significar nada, mas ver, em um exame de audiometria vocal, que essa perda moderada impacta no entendimento de fala dela (a ponto de reconhecer apenas 70%) faz mais sentido para o paciente. Por isso, os profissionais usam muito esse exame para avaliar e começar um processo de protetização.

Quando ele deve ser feito?

O exame auditivo deve ser realizado desde a infância, principalmente em crianças em idade escolar ou com atraso de desenvolvimento de fala. Na vida adulta, esse exame deve ser feito quando há a dificuldade de concentração/entendimento com barulho. A pessoa não precisa sentir dificuldade auditiva, mas ela pode ter dificuldade de entendimento em determinadas situações.

O grande problema é que as pessoas esperam sentir que estão com dificuldade auditiva. Na verdade, o primeiro sinal de perda auditiva não é uma dificuldade em ouvir as pessoas, mas, sim, em entender a conversação em determinadas situações.

Após os 60 anos, também é recomendado fazer a audiometria. Pessoas que trabalham com barulho, falando muito ao telefone, convivendo em um escritório com várias pessoas, passando várias horas no trânsito etc., precisam verificar e monitorar a função auditiva anualmente — mesmo sem sintomas —, pois esses ruídos podem danificar sua audição.

Quais problemas podem ser identificados?

O zumbido é um dos problemas que mais aparecem nos exames e ele pode preconizar o início da perda auditiva. Em suma, podemos afirmar que ele é um sinal de que algo não vai bem em seu sistema auditivo.

Além desse problema, os exames auditivos também podem diagnosticar:

  • obstrução nos ouvidos;
  • danificação nos tímpanos;
  • doenças dos ossos do ouvido;
  • surdez neurossensorial;
  • otite etc.

Como a Comunicare pode ajudar no processo de teste do aparelho auditivo?

A Comunicare, além de ser uma empresa de aparelhos auditivos, também é uma clínica de fonoaudiologia (formada apenas por fonoaudiólogos). Nessa clínica, também são realizados exames de diagnóstico. Os profissionais determinam o grau de dificuldade auditiva e, com base nesses exames, fazem a prescrição da prótese e a avaliação do benefício.

Quando é detectada a perda, eles logo sugerem o teste de algumas tecnologias e mensuram os resultados (audiometria com e sem aparelho). Além disso, eles também verificam o que está acontecendo na orelha do paciente, por meio de um exame indolor e rápido.

Com base nisso, os profissionais conseguem verificar o benefício da prótese. Na Comunicare, além da verificação feita dentro da unidade, eles emprestam a prótese para o paciente usar e sentir o benefício constatado nos exames em seu dia a dia.

Se ele se adaptar e alcançar uma boa experiência, ele compra; do contrário, ele devolve (sem custo nenhum), podendo voltar em outro momento, quando preferir. Esse é um grande diferencial.

A Comunicare conta com um programa estruturado de acompanhamento, pois mesmo que o paciente faça a avaliação, a verificação, o teste e a compra do produto, a reabilitação auditiva é um processo contínuo, pois diferentes demandas podem ocorrer em diferentes momentos da vida.

Para que a pessoa se sinta à vontade de ter o suporte constante da Comunicare, eles disponibilizam um programa de acompanhamento chamado Best-fit, que tem duas frentes: uma presencial e outra online. Os seus pacientes têm um app que fica em constante contato com uma fonoaudióloga da equipe que oferece suporte e faz ajustes remotos (abaixar ou reduzir volume). Basta fazer o contato pelo app e a fonoaudióloga do tele-care ajusta o aparelho a distância. Isso faz parte do acompanhamento.

Eles também têm consultas periódicas na unidade para descobrir se o paciente está satisfeito, se o aparelho está cumprindo as demandas ou se precisa fazer algum ajuste.

Independentemente do programa, o paciente pode ir quantas vezes quiser às unidades — de forma vitalícia e sem custo. Faz parte do pós-venda da Comunicare manter esse acompanhamento mesmo que o aparelho não esteja mais na garantia. Todo atendimento das fonoaudiólogas é gratuito.

Quais os benefícios de utilizar um aparelho auditivo da Comunicare?

Entre as principais vantagens, podemos citar:

  • o AudioDrive;
  • o Best-fit (programa de acompanhamento);
  • o Telecare (acesso remoto de exclusividade da Comunicare).

Em termos de tecnologia, eles trabalham com a marca Signa (a mais inovadora do mercado). Pensando no conforto e na sustentabilidade, a Comunicare foi a primeira a lançar um aparelho sem pilha (com bateria).

Seus produtos têm tratamento para zumbido, desde o nível mais básico até o mais tecnológico. Além disso, eles se consideram uma marca democrática — pessoas com níveis financeiros diferentes podem ter o mesmo nível tecnológico nos aparelhos, com o benefício para todos.

A Comunicare inova muito em tecnologia, e seus aparelhos auditivos têm — com exclusividade — a capacidade de detectar a voz do usuário e diferenciá-la da voz de outras pessoas, tornando a primeira mais natural.

Eles também têm conectividade com todos os equipamentos de áudio (Android, iOS). A pessoa pode atender ao celular e ver TV diretamente pelo aparelho auditivo. Como você pode perceber, há todo um recurso tecnológico por trás de tudo isso, ou seja, não é apenas uma questão de reabilitação auditiva.

Os aparelhos têm filtros para identificar a fala e o ruído, focando na fala para trazer mais conforto ao usuário. Há, ademais, vários níveis tecnológicos que podem ser ajustados conforme a necessidade da pessoa.

Como você pôde concluir, os exames auditivos são essenciais para garantir a boa manutenção da sua saúde e do bem-estar. Ao realizá-los periodicamente, será possível identificar problemas logo no início do seu desenvolvimento, melhorando, assim, as chances de recuperação.

Você também quer realizar o exame auditivo o quanto antes? Então, entre em contato com a minha equipe, pois será um prazer atendê-lo!

Sem comentários
Publicar um comentário
Name
E-mail
Website