Labirintite: tire 9 dúvidas comuns e saiba como lidar com o problema

Tire 9 dúvidas comuns sobre a labirintite e saiba como lidar com o problema!

Embora a labirintite seja uma doença comum, existem muitas dúvidas que a cercam. Aliás, você sabia que essa condição, que traz tontura e mal-estar, está entre as que podem levar à perda auditiva?

Pois é isso mesmo! Por isso, é importante aprender mais sobre o assunto, ainda mais se você apresenta esse quadro, para estar sempre informado e precavido. Neste post, respondemos às maiores questões sobre labirintite. Então, leia o conteúdo e fique por dentro!

1. O que é labirintite?

Muita gente já ouviu falar na labirintite, mas nem todas sabem exatamente o que é. Ela é uma doença do ouvido interno que se caracteriza pela inflamação do labirinto — região responsável pelo equilíbrio, audição e percepção do corpo.

Muitas pessoas costumam classificar qualquer enfermidade do labirinto como labirintite, mas isso é um erro. Nesse caso, o termo certo é labirintopatia, sendo a labirintite uma delas.

2. Quais são os tipos?

Os tipos de labirintite têm, praticamente, os mesmos sintomas. No entanto, é necessário diferenciá-los para fazer o tratamento adequado. Por isso, uma consulta ao otorrinolaringologista é essencial para fazer o diagnóstico correto. Veja quais são:

  • viral ou bacteriana: nesse tipo, o agente infeccioso é o que causa a inflamação do labirinto, podendo ser um vírus ou uma bactéria;
  • emocional: a labirintite emocional está diretamente ligada à saúde emocional do paciente. Entre as causas desse tipo, estão o excesso de estresse e/ou de ansiedade.

3. Quais são as causas?

Essa inflamação pode ocorrer de diversas formas, por esse motivo, é essencial identificar as causas, para só então estabelecer a melhor maneira de tratar a labirintite. A seguir, veja algumas delas:

  • problemas de origem respiratória, como bronquite e rinite;
  • infecções virais, como gripes e resfriados;
  • herpes;
  • infecções por bactérias, como otite e meningite;
  • estresse e ansiedade, no caso da labirintite emocional.

4. Quais são os sintomas?

O sintoma mais conhecido da labirintite é a vertigem, quando a pessoa sente que tudo ao redor está girando. Porém, existem outros que caracterizam a doença, e por isso é importante prestar atenção:

  • tonturas e náuseas;
  • suor excessivo;
  • perda da audição;
  • desequilíbrio;
  • zumbido no ouvido.

Os sintomas começam 3 a 4 dias após o início da inflamação e podem durar minutos, horas ou dias, dependendo da causa e do tratamento. A fase aguda costuma aparecer de repente.

5. Como ela ocorre?

O labirinto contém pequenos cristais que pressionam as células da região e, assim, nos dão a noção de percepção do nosso corpo e o equilíbrio. Quando há alguma alteração no posicionamento deles, a densidade do líquido que constitui os canais é modificada.

Dessa maneira, afeta diretamente os sinais que são emitidos para o cérebro, confundindo-o e resultando nos sintomas. Por isso, a inflamação do ouvido causa enjoo, vertigens, perda do equilíbrio e da audição, pois modifica a dinâmica da estrutura do labirinto.

6. Quais são os fatores de risco?

Algumas exposições e fatores nos deixam mais propensos à labirintite. Sabendo disso, fica mais fácil evitá-los, sempre que possível, para não desenvolver a doença. Veja quais são.

  • idade acima dos 40 anos;
  • glicose baixa no sangue;
  • triglicérides;
  • colesterol alto;
  • hipertensão;
  • diabetes;
  • otite;
  • alcoolismo;
  • tabagismo;
  • uso de alguns medicamentos que causam estresse;
  • má alimentação.

7. Como um aparelho auditivo pode ajudar?

A inflamação do labirinto pode causar a perda auditiva, já que essa região é responsável também pela nossa audição. Dessa forma, o uso do aparelho auditivo é indicado para pacientes que tiveram esse problema ocasionado pela labirintite.

É importante dizer que não tratar a perda da audição pode agravá-la, e, por esse motivo, é necessário buscar ajuda profissional.

Powered by Rock Convert

Se o uso do aparelho auditivo for recomendado, o ideal é contar com uma empresa que oferece todo o suporte necessário para a aquisição do dispositivo: desde o melhor modelo, passando pelo período de adaptação até o pós-venda, como a Comunicare Aparelhos Auditivos.

8. O que pode acentuar as crises?

Quem tem labirintite deve tomar cuidado com alguns hábitos que podem acentuar as crises. Para evitar os momentos de fase aguda da doença, conheça o que piora o quadro:

  • alto consumo de alimentos com muito açúcares e farinha branca;
  • ingerir bebidas estimulantes;
  • fumar e beber álcool em excesso;
  • ficar longos períodos em jejum;
  • passar por situações de estresse e nervosismo.

9. Como diagnosticá-la?

É comum as pessoas acharem que qualquer vertigem é causada pela labirintite, e isso é um grande engano. Outras doenças, como diabetes, hipertensão e esclerose múltipla, causam sintomas parecidos, podendo confundir o paciente.

A avaliação clínica e o exame otoneurológico devem ser feitos para diagnosticar a enfermidade, assim como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética também podem ser muito úteis no diagnóstico final.

10. Qual é o tratamento?

O tratamento para labirintite deve ser prescrito por um médico após saber as causas do problema. Para infecções bacterianas e virais, são receitados antibióticos e antivirais respectivamente. Já para a labirintite de fundo emocional, deve-se tratar a causa do estresse e da ansiedade. Em ambas, também são prescritos medicamentos para amainar os sintomas.

Além disso, algumas orientações são prescritas para ajudar a amenizar os incômodos e diminuir a reincidência da enfermidade, como beber muito líquido, fazer dieta alimentar e ficar em repouso num ambiente silencioso e escuro.

11. A alimentação influencia na labirintite?

Pode parecer que não, mas a alimentação também é muito importante para o tratamento da labirintite, pois existem alimentos que melhoram o quadro, enquanto outros pioram.

Entre os alimentos que ajudam, estão: os vegetais frescos, peixes, sementes, oleaginosas, azeite extravirgem e cereais integrais. Muito tem a ver com os nutrientes que eles contêm, como ácidos graxos, vitaminas e minerais, que auxiliam na boa saúde dos ouvidos. Já entre os que agravam o quadro, estão:

  • açúcares e farinha branca, que aumentam a inflamação;
  • os embutidos e que têm muito sódio, pois o sal eleva a pressão interna no ouvido, aumentando os sintomas;
  • bebidas alcoólicas e estimulantes, como café, guaraná e refrigerantes à base de cola.

A labirintite é uma doença que acomete muitas pessoas, porém, grande parte a confunde com outras enfermidades por conta de os sintomas serem semelhantes. Portanto, se você ou alguém da sua família apresenta alterações, como vertigem, náuseas, desequilíbrio e perda da audição, busque por ajuda profissional.

Gostou do nosso artigo? Que tal ajudar os seus amigos a saber mais sobre o assunto? Para isso, basta compartilhar este post nas suas redes sociais!

Digite seu e-mail para receber as melhores dicas sobre
reabilitação auditiva, zumbido e aparelhos auditivos.


agendar consulta, agendamento de consulta, avaliação auditiva, avaliação auditiva gratuita, agendar avaliação auditiva gratuita, consulta surdez, consulta aparelho auditivo, consulta fonoaudiólogo
[/vc_column]
[/vc_row]

Sem comentários
Publicar um comentário
Name
E-mail
Website

Agende seu teste gratuito

Informe seus dados que entraremos em contato com você!