FALTAM R$ 199 PARA O FRETE GRÁTIS
Blog: Misofonia

Como o zumbido, a misofonia e a hiperacusia representam sintomas de que algo não vai bem no sistema auditivo. Ambas as condições estão ligadas à hipersensibilidade sonora, entretanto, existem diferenças entre elas. No artigo de hoje vamos saber um pouco mais sobre suas semelhanças e diferenças, as causas e os tratamentos. Acompanhe.

O que significa Misofonia e Hiperacusia

A misofonia, também conhecida como Síndrome de Sensibilidade Seletiva do Som (SSSS ou S4), se manifesta por meio de uma redução à tolerância a certos sons. Quem sofre com esse problema se incomoda muito com barulhos específicos, principalmente se forem repetitivos. Esses sons são cotidianos e comuns para grande parte das pessoas. Entretanto, eles não são tolerados por quem convive com a misofonia.

O próprio nome do problema já remete ao seu significado. “Miso” significa aversão ou ódio. Já “fonia“ diz respeito ao som. O indivíduo diagnosticado com misofonia, portanto, não tolera certos tipos de sons. Alguns exemplos são o ruído de alguém mascando chiclete, digitando, o pisca de um carro ou um chuveiro pingando.

Esse problema é classificado como uma condição que afeta, além do sistema auditivo, o neurológico. Além disso, a misofonia, frequentemente, está associada a uma diminuição da capacidade de audição. Por isso, ela reduz o nível de qualidade de vida, fazendo com que tarefas fáceis do cotidiano se tornem mais difíceis.

A hiperacusia, por sua vez, é determinada por uma sensibilidade a frequências ou aos volumes de sons. Neste caso, o que incomoda as pessoas são sons em um volume baixo, moderado ou em algum mesmo tom.

Embora o barulho não seja elevado, para quem sofre de hiperacusia ele é insuportável, pois para esses indivíduos ele é percebido muito mais alto devido a alguma falha no processamento central de sons.

Como consequência da altura do som ouvida por quem tem hiperacusia, as pessoas tendem a ficar irritadas e ter dores nos ouvidos que podem se estender por horas ou dias. Além disso, também podem apresentar zumbidos crônicos.

Quais são as semelhanças e diferenças

O que é semelhante na misofonia e na hiperacusia é que ambas as condições são representadas por algum tipo de hipersensibilidade relacionada à audição e a percepção de sons. Além disso, as duas podem ser tratadas.

Por outro lado, a principal diferença entre elas é a forma como se manifestam. Enquanto a misofonia está ligada a tipos de barulhos em diferentes volumes, acontecendo de forma frequente (como a sirene de um carro, por exemplo), a hiperacusia se relaciona com a percepção de volumes de sons muito mais altos do que realmente são.

Quais são as causas da Misofonia e Hiperacusia

A misofonia é uma condição ainda a ser estudada. Embora não se tenha muitos dados concretos sobre ela, há especulações de que seja causada ainda no cérebro, em decorrência de distúrbios no Sistema Central de Audição. Alguns estudos apontam que o aparecimento dela pode estar relacionado a experiências negativas ou que ela pode até mesmo ser hereditária.

Já a hiperacusia tende a ser causada por uma exposição elevada a ruídos com decibéis altos, que pode acarretar algum dano ao nervo auditivo, fazendo com que ele não consiga conviver de forma normal com alguns barulhos. Além disso, ela também pode se manifestar a partir de distúrbios cerebrais, infecções, estresse ou ainda de forma hereditária.

Como é feito o diagnóstico

Não existe um diagnóstico específico para constatar que alguém sofre de misofonia. Para identificar o problema, normalmente, a pessoa que desconfia da condição deve realizar uma consulta e ser acompanhada por um otorrino ou fonoaudiólogo. A partir de testes audiológicos, os profissionais conseguem perceber a reação aos sons e diagnosticar ou não a misofonia.

O diagnóstico da hiperacusia, por sua vez, é feito a partir da percepção de sintomas. Grande parte das pessoas que sofrem do problema (86%) também têm zumbido no ouvido e podem sentir dor. Quem apresentar esses sintomas deve procurar ajuda médica e realizar o Teste de Níveis de Desconforto de Ruído (LDL), para então diagnosticar a hiperacusia.

Há ainda alguns sinais de alerta em comum que podem apontar para o diagnóstico de misofonia e a hiperacusia:

  • Perda auditiva;
  • Zumbido no ouvido;
  • Dificuldade de se comunicar e prestar atenção;
  • Grande incômodo com sons;
  • Irritação frequente;
  • Tonturas, enjoos e desmaios.

Como é o tratamento

A misofonia não tem um tratamento específico que leve à cura. Contudo, os profissionais da área auditiva podem auxiliar os pacientes com tratamentos alternativos que ajudam a conviver com o distúrbio, como as terapias de sons.

Dentre as opções, duas destacam- se: a terapia com psicólogos que ajuda a amenizar a percepção dos sons, principalmente quando o motivo para eles aparecerem está relacionado a algum acontecimento do passado; e a alternativa do treinamento para a misofonia. Nele, o paciente deve prestar atenção em sons agradáveis, desviando o foco de barulhos que causam irritação.

A hiperacusia também é tratada a partir de treinamento. Após o diagnóstico, o médico saberá qual o nível de tolerância do paciente ao volume dos sons. A partir disso, é possível treinar os ouvidos para que a sensibilidade diminua, e esses sons desagradáveis fiquem mais suportáveis.

Aqui na Comunicare temos especialistas no assunto e você pode agendar uma consulta sem compromisso.

Se você acha que sofre de algum desses distúrbios ou de outro problema de perda de audição, deixe um comentário no post e nos conte a sua situação.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

M

Onde você está?

Dessa forma você terá acesso aos produtos e serviços da sua região.

M

Localizando...

Unidade mais próxima

Agendar Teste Gratuito
M

Informe seus dados para iniciar seu atendimento.