Comunicare Aparelhos Auditivos | Zumbido

Entre em contato clique aqui
Você está: Home > Zumbido

Zumbido

Termos e Tipos

Nosso mundo é cheio de sons: risadas, músicas inesquecíveis, ondas quebrando na praia. Todos esses sons enriquecem nossas vidas e são literalmente música para nossos ouvidos, melhorando nosso humor. No entanto, o que acontece quando um som de repente toma conta?

Quando o zumbido dá o tom

O zumbido é um ruído que se origina dentro do ouvido e pode afetar uma ou as duas orelhas. Embora atualmente não haja uma cura para a maioria dos casos, existem modos de aliviá-lo. Nosso objetivo é ajudar pacientes a encontrar um diagnóstico de zumbido e controlá-lo, e não ser controlado por ele.

O zumbido e suas diferentes formas.

Zumbido é o termo médico utilizado para descrever os barulhos que ouvimos em nossas orelhas. É derivado do latim “tinnire”, que significa “tocar”. O zumbido varia de pessoa para pessoa em tipo, frequência e intensidade. Muitos descrevem o ruído como um assobio, sibilante, crepitante ou uma campainha na orelha.

 

Zumbido subjetivo e objetivo

O zumbido pode ser classificado em duas categorias: subjetivo e objetivo:

  • O tipo mais raro de zumbido é o objetivo, que é aquele que também pode ser percebido por outra pessoa e pode ser mensurado diretamente por um fonoaudiólogo. Em geral o tratamento é medicamentoso.
  • Por outro lado, o zumbido subjetivo é audível apenas ao paciente. O zumbido é interno – sem fonte sonora externa direta. No entanto, esse tipo de zumbido não é mensurável, o que não quer dizer que ele seja fruto da imaginação do paciente. Essa é uma aflição real de pacientes que são muito afetados pelo zumbido. Porém, existem novas formas de lidar com essa condição e aliviar o impacto do zumbido subjetivo.

 

Tipos e gravidade

Se o zumbido é apenas temporário e desaperece rapidamente (por exemplo, após um show com música muito alta), ele é chamado de zumbido agudo. Mas para milhões de pessoas o zumbido é permanente, o que caracteriza o zumbido crônico.

A maior parte das pessoas refere o zumbido como uma fonte que não gera irritação ou que gera uma pequena irritação. Mas uma em cinco pessoas descreve a sensação como desagradável e até insustentável: muitas dessas pessoas ficam tão estressadas que o zumbido diminui a qualidade de vida.

 

Causas e Diagnósticos
Zumbido é um sintoma, não uma doença.

O zumbido é um indicativo de problemas no sistema de processamento do som e também pode estar relacionado a uma variedade de doenças. A maioria das pessoas que sofrem com o zumbido também tem dificuldades de audição.

Identificando fatores fisiológicos

Além dos danos ao sistema auditivo, o zumbido também pode ser causado por uma disfunção dentária (o bruxismo, por exemplo) e dor cervical crônica.

Apesar do stress ser a causa mais comum de zumbido, não há base científica que possa comprovar a ligação entre zumbido e stress. Mas o zumbido pode causar stress. Ruídos agudos são mais percebidos quando a pessoa está tensa.

Alguns medicamentos podem desencadear o zumbido. Uma vez que o uso da medicação é interrompido, o zumbido normalmente desaparece também. Mas alguns medicamentos podem causar danos irreparáveis, que podem resultar em zumbido permanente.

Diagnóstico do zumbido

Como o zumbido é percebido de modo diferente por cada pessoa, um diagnóstico preciso é essencial. O primeiro passo: determinar se o caso pode ser tratado por meio de medicamento ou não. Para isso, o médico deve realizar exames otorrinolaringológicos, odontológicos, ortodônticos e ortopédicos. A intensidade e a frequência do zumbido podem ser determinadas por testes específicos e o exame de audição também pode revelar se existe uma perda auditiva associada.

O zumbido é identificável: exames funcionais do cérebro indicam aumento de atividade metabólica na região do córtex auditivo em pacientes com zumbido, o que sugere que o zumbido não está exclusivamente relacionado à audição.

 

Efeitos do zumbido
Efeitos do zumbido: mantenha o sintoma sob controle.

O zumbido pode afetar a vida de uma pessoa e isso depende de vários aspectos: do volume, de sua frequência e duração, e da percepção individual. O zumbido propriamente dito não deve ser tratado como uma doença, mas como um sintoma, semelhante a dor. Ao contrário do tratamento de uma doença, cujo objetivo é a cura do que a causa, o zumbido é tratado como uma condição: trata-se principalmente de controlar o barulho na orelha. Apesar do zumbido não ser considerado uma doença, ele pode atingir proporções semelhantes a esse quadro. Em casos mais graves a tensão gerada em decorrência do zumbido pode causar problemas de sono, fobias e depressão.

Como controlar o zumbido

O barulho do zumbido é rapidamente percebido como incômodo e você tende a ouvi-lo contra a sua vontade. A descrição de zumbido como o “inimigo em sua orelha” é adequada, porque ele é o início de um ciclo vicioso. Inicialmente você pode evitar o contato social na tentativa de tentar descansar. Mas esse distanciamento também limita as experiências auditivas, o contato social e outras formas de distração. O zumbido passa então a atrair mais atenção. Por sua vez, começa a surgir um sentimento crescente de desespero pela incapacidade de lidar com o sintoma, associado ao medo de que ele piore, o que garante ao cérebro a necessidade de focar no zumbido. Esse ciclo precisa ser interrompido. Você precisa tirar o zumbido do centro das atenções e ganhar o controle sobre ele.

 

Controle do zumbido

O zumbido pode ser tratado mesmo se não existe uma causa determinada. Existem muitas maneiras do paciente lidar com a sua condição – mudanças de hábitos e atitudes para que o zumbido não tome o controle de suas vidas.

A chamada “terapia cognitivo-comportamental” por exemplo, é muito promissora. Sua linha de raciocínio e percepções tem um papel decisivo nesse método. As sessões de terapia tem conteúdo variado e promovem a auto-ajuda. A terapia tem como foco informações orientadas, análise do comportamento pessoal, prática de exercícios e experiências positivas. A terapia congnitivo-comportamental concentra-se nos seguintes aspectos:

aprender mais
Aprender mais
  • Explicações detalhadas do sintoma zumbido: verdades e mentiras
  • Por que é tão importante não ouvir o zumbido; qual o papel das nossas emoções e sentimentos?
  • Qual o papel do stress no que diz respeito ao zumbido?
Mudar Hábitos
  • Aprender métodos de relaxamento
  • Praticar viagens imaginárias para evocar emoções positivas
  • Transformar pensamentos e atitudes negativas em um pensamento útil (“eu posso vencer o zumbido”)
  • Modificar hábitos que estimulam o zumbido, por exemplo: reduzir seu círculo de amizades, evitar atividades
  • O que fazer se o zumbido aparecer de novo (técnicas de habituação)
reaprender a ouvir
Reaprender a ouvir
  • Estimulação acústica e treinamento para o uso de aparelhos auditivos, geradores de som, dispositivos combinados ou outras fontes sonoras para desviar a atenção do zumbido.

 

Soluções Técnicas

A tecnologia moderna pode ajudar a vencer o zumbido. O princípio fundamental é a estimulação acústica: permitir que o cérebro escute e, consequentemente, mudar o foco do zumbido para os sons externos.

Aparelhos auditivos

O uso de aparelhos auditivos melhora a audição e alivia o zumbido ao mesmo tempo, porque se você ouve melhor, você também pode ignorar o zumbido. Os aparelhos auditivos amplificam o som ambiental e o transmite para a orelha, o que aumenta cada vez mais o foco nos barulhos, sons e sinais que estão à volta do usuário. Como a atenção se volta para as impressões auditivas agradáveis, o foco no zumbido é reduzido. Em muitos casos os usuários ouvem muito pouco ou não ouvem o zumbido a partir do momento em que o aparelho auditivo é ligado.

Geradores de som

Os geradores de som são indicados para pessoas que não possuem perda auditiva. Eles são bem semelhantes a um aparelho auditivo, porém não amplificam os sons ambientais: eles geram um som suave para distrair o paciente do zumbido. Geradores de som tem a proposta de aliviar o zumbido.

Dispositivos combinados

Como os aparelhos auditivos podem apenas amplificar os sons ambientais, são pouco utilizados como terapia de zumbido em ambientes silenciosos. Esse é um caso em que um aparelho auditivo com gerador de som integrado pode ser útil. Nessas situações o gerador de som integrado emite um som suave para distrair o paciente do zumbido. Os aparelhos auditivos Siemens possuem vários programas que podem ser selecionados com apenas um toque: programa de aparelho auditivo apenas, programa de gerador de som apena, ou programa de aparelho auditivo combinado ao gerador de som.

 

Função zumbido em detalhes:
  • Gerador de som independente
  • Quatro sons pré-programados para terapia: white noise, pink noise, speech noise e high tone noise
  • Ajuste individual do programa de zumbido para até 20 bandas
  • Três modos de operação: apenas amplificação, apenas gerador de som, modo misto

 

Conheça os aparelhos auditivos Siemens indicados para zumbido: Clique aqui

Fonte: http://www.siemens.com.br/audiologia

VOLTAR PÁGINA ANTERIOR