Perda Auditiva Neurossensorial

A perda auditiva neurossensorial é um dos tipos de surdez mais comuns entre os idosos, apesar de atingir pessoas de todas as idades. Ela acomete o ouvido interno, quando nervos ou células ciliadas da cóclea se deterioram. O resultado é um impedimento da conexão entre ouvido e cérebro que leva a deficiência auditiva neurossensorial.

No artigo de hoje falaremos sobre este assunto, abordando as principais causas da doença e como deve ser feito o tratamento. Continue a leitura e conheça a seguir 5 sintomas que indicam que a pessoa sofre de perda auditiva neurossensorial.

Sintomas

Os primeiros sintomas que se manifestam, e que podem indicar a perda auditiva neurossensorial, são a dificuldade de ouvir sons mais fracos e o abafamento dos sons mais fortes. Além disso, há outras 5 condições que podem apontar para a perda auditiva neurossensorial. Confira a seguir cada uma delas.

1) Sensação de zumbido

Zumbido

A primeira é a sensação de zumbido nos ouvidos. Sem dúvida, essa é uma condição muito incômoda, que se caracteriza pela percepção de um som que, na realidade, não está presente no ambiente. Embora possam variar, as pessoas costumam relatar que o zumbido se assemelha a sons de apito, chiado, água corrente, inseto.

2) Confusão no direcionamento dos sons

A perda auditiva neurossensorial, quando acomete apenas um dos ouvidos, é conhecida como unilateral. Nesses casos, um dos sintomas mais comuns é a dificuldade em compreender de qual direção o som é proveniente. Essa característica se acentua em lugares barulhentos, em que o cérebro precisa diferenciar sons de fala e de ruídos.

3) Aumento frequente de volume

Outro sinal de alerta para a perda auditiva neurossensorial é a necessidade de aumentar o volume frequentemente. Como vimos, um dos primeiros sintomas que se manifestam é a dificuldade em entender sons baixos ou médios.

Por isso, se a pessoa ouvia um programa no volume 10, passou para o 12 e agora está no 15, é sinal de atenção. Sendo assim, o indicado é checar para descartar ou confirmar algum problema de audição, como a perda auditiva neurossensorial.

4) Dificuldade para conversar em ambientes com ruídos

Normalmente, a perda de audição que acomete o ouvido interno tem como consequência uma dificuldade para separar o som proveniente da fala de outros barulhos presentes no ambiente.

É provável, nesses casos, que as pessoas não consigam entender conversas em lugares barulhentos, como em restaurantes, grandes avenidas ou festas.

5) Necessidade de auxílio para entender informações verbais em lugares movimentados

O último sintoma que aponta para uma perda auditiva neurossensorial é a dificuldade de entender informações verbais em lugares barulhentos e movimentados. Por exemplo, sabe aquela promoção anunciada no alto-falante do supermercado? Quem sofre com perda auditiva que acomete o ouvido interno provavelmente não entenderá.

Causas

Agora que você já aprendeu a identificar a perda auditiva neurossensorial, chegou o momento de entender as causas para essa condição.

A principal é o envelhecimento natural do organismo, somado à exposição aos sons ao longo da vida. Em suma, esse conjunto de fatores altera o funcionamento da cóclea, no ouvido interno. Também é possível que a perda auditiva neurossensorial aconteça devido a outros fatores como:

  • irrigação sanguínea insuficiente;
  • alterações congênitas;
  • tumores cerebrais;
  • doenças como hipertensão, diabetes, rubéola, meningite e caxumba;
  • uso de drogas e medicamentos ototóxicos;
  • exposição a sons elevados;
  • doenças autoimunes;
  • síndrome de Ménière.

Diagnóstico

Audiometria

Quando os primeiros sintomas são percebidos, é essencial que a pessoa busque ajuda. Embora a perda auditiva neurossensorial seja irreversível, já que não é possível recuperar a estrutura lesionada do ouvido interno, o diagnóstico precoce permite que a pessoa inicie um tratamento e tenha uma melhor qualidade de vida.

Portanto, sempre que há desconfiança é necessário consultar especialistas como otorrinolaringologistas e fonoaudiólogos para que eles possam avaliar a saúde auditiva. Por meio de questionamentos e de uma audiometria, é possível afirmar se há e qual o grau da perda auditiva neurossensorial.

Tratamento

Em grande parte dos casos é possível se beneficiar do uso de aparelhos auditivos para voltar a ouvir de uma forma próxima à natural. Os aparelhos amplificam as ondas sonoras, realizando o papel das estruturas acometidas.

Atualmente, as melhores empresas, como a Signia e a Widex, oferecem aparelhos auditivos compatíveis com as diferentes necessidades de cada um. Portanto, se você desconfia que sofre de perda auditiva neurossensorial, não deixe de consultar um especialista para que ele possa avaliar a sua saúde auditiva e indicar o melhor tratamento.

Se você chegou até aqui e ainda ficou com alguma dúvida sobre perda auditiva neurossensorial, deixe um comentário no post para que possamos ajudar. Conte conosco.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

M

Onde você está?

Dessa forma você terá acesso aos produtos e serviços da sua região.

M

Localizando...

Unidade mais próxima

Agendar Teste Gratuito