Aparelho auditivos duram, em média, de 3 a 5 anos, porém isso depende de vários fatores, como os cuidados do usuário, qualidade e modelo do produto. Entretanto, mesmo seguindo todas as recomendações sobre o uso, limpeza e manutenção, chega uma hora em que o aparelho auditivo precisa ser trocado.

Como saber quando esse momento chegou? Além do desgaste natural, também há uma necessidade de troca para uma readequação do dispositivo, tendo em vista a evolução da perda da audição.

Neste artigo, vamos comentar sobre a necessidade de trocar o aparelho auditivo periodicamente, os principais sinais que indicam quando ele precisa ser substituído e os cuidados para aumentar a vida útil do dispositivo. Continue a leitura para saber mais!

A importância de trocar o aparelho auditivo periodicamente

É muito importante manter um acompanhamento fonoaudiológico para avaliar a evolução do grau de perda auditiva. Em geral, a piora se refere ao quanto o paciente ouve. Entretanto, pode ocorrer uma redução na capacidade de entendimento dos sons.

No primeiro caso, quando o aparelho conta com uma reserva de potência, basta ajustá-la; já quando se trata de uma dificuldade no entendimento do que se ouve, é necessária uma reavaliação da perda auditiva.

Nesse sentido, é importante que a cada 3 anos seja feita uma readequação do dispositivo, substituindo-o por outro de maior potência para atendimento às novas necessidades auditivas do paciente.

Além da troca para readequação à deficiência auditiva, o desgaste natural do aparelho pode ser percebido por alguns sinais.

Sinais que indicam a hora de trocar o dispositivo

Independentemente da qualidade dos aparelhos, todos devem ser trocados após um período de uso. Da mesma forma como ocorre com outros tipos de dispositivos, eles possuem um tempo de vida útil que precisa ser observado para que a eficiência não fique comprometida.

Dessa forma, quando começam a falhar, é importante ficar atento para a necessidade de trocá-los, a fim de garantir a qualidade de vida dos pacientes. Veja, a seguir, 4 sinais que podem servir de indicativos sobre a hora de trocar o aparelho auditivo!

1. Constantes manutenções

Em geral, os problemas que levam os aparelhos auditivos ao conserto são provocados por sujeira, oleosidade da pele e cera do ouvido, que bloqueiam os receptores e microfones.

Entretanto, quando o dispositivo começa a necessitar de manutenções em um curto espaço de tempo, é um indicativo de desgaste dos componentes. Nesse caso é importante substituí-lo, já que essas situações recorrentes sinalizam para o fato que a vida útil do aparelho está terminando.

Além de prejudicar a qualidade da audição, a quantidade de vezes que o aparelho precisa ir para o conserto pode deixá-lo mais caro do que um produto novo.

2. Aparelho com som fraco

Quando o volume da audição fica baixo, é possível resolver o problema com apenas um pequeno ajuste. Entretanto, isso também pode ser um sinal de agravamento da perda auditiva.

Dessa forma, se o paciente escuta, mas não entende, mesmo ajustando o volume, é necessária a troca do aparelho por um dispositivo com maior potência de amplificação.

3. Tecnologia ultrapassada

Após algum tempo de uso, se a pessoa sentir que o aparelho não atende integralmente às suas necessidades auditivas, é importante fazer uma reavaliação com o fonoaudiólogo.

Cada vez mais, os aparelhos auditivos podem contar com novas tecnologias que ajudam muito na melhoria da qualidade de vida do paciente, proporcionando sons mais nítidos, bem próximos aos naturais, bem como conforto e praticidade.

4. Alterações nos sons do aparelho

Muitas vezes, o aparelho auditivo apresenta falhas que nem sempre significam uma necessidade de troca do dispositivo. Pode ser apenas um sinal de que a bateria precisa ser substituída. É possível perceber esse problema por meio de alguns indícios, como:

  • audição de ruídos;
  • distorções nos sons;
  • queda na qualidade auditiva.

A duração da bateria depende do tempo de uso diário, do tipo de circuito e do tamanho do dispositivo.

Fatores que contribuem para aumentar a vida útil do aparelho

O tempo que um aparelho auditivo pode durar depende de vários fatores — além dos cuidados essenciais na utilização, o modelo, a qualidade do produto e a assistência técnica também interferem diretamente em sua vida útil.

Cuidados essenciais que ajudam na conservação do aparelho

Para que o dispositivo dure por mais tempo é necessário dispensar alguns cuidados especiais, como evitar contato com a umidade e protegê-lo de quedas.

O modo de armazenamento também pode interferir na vida útil do produto. É necessário remover a bateria quando não estiver em uso, deixando o compartimento aberto.

Também é importante utilizar um desumidificador para armazenamento, a fim de garantir a manutenção de um ambiente mais seco.

Relação entre modelo e vida útil do aparelho

Os aparelhos auditivos que ficam atrás da orelha (retroauriculares) duram um pouco mais do que os modelos que ficam dentro da orelha (intra-auriculares). Isso ocorre porque os componentes eletrônicos do dispositivo não entram em contato com o ambiente úmido do canal auditivo.

Entretanto, avanços tecnológicos que permitem a projeção de nanorrevestimentos em componentes internos e externos podem eliminar essa diferença na durabilidade.

Qualidade do produto e assistência técnica especializada

Outros fatores que interferem diretamente na vida útil de um aparelho auditivo dizem respeito à qualidade do produto e assistência técnica especializada. Nesse sentido, empresas que contam com tecnologia de ponta, como a Comunicare, oferecem dispositivos adequados às necessidades auditivas individuais.

A tecnologia dos produtos, aliada ao atendimento realizado por uma equipe altamente capacitada, garante maior durabilidade e acompanhamento profissional para avaliação auditiva, indicação para escolha do aparelho ideal e orientação em casos de readequação.

Como vimos, o aparelho auditivo dá sinais sobre a necessidade de ser substituído, sendo muito importante ficar atento a esses indicativos para garantir a qualidade de vida dos pacientes com deficiência auditiva. Além disso, a troca periódica do dispositivo é fundamental para evitar o agravamento do grau de surdez.

Gostou deste artigo? Caso seu aparelho auditivo esteja apresentando sinais de que precisa ser trocado, entre em contato conosco! Temos uma equipe especializada pronta a atender e indicar o melhor modelo para seu problema auditivo.

2 Comentários

  1. Mara Cristina Andrade Oliveira

    Eu uso aparelho nos dois ouvido,mas já faz seis anos ,nunca mais fiz exame de audiometria,e sinto que nao estou ouvindo maus como antes,tenho muita dificuldade de entender as palavras quando a mim E dirigida,eu preciso urgente de troca e de novos exames .
    Desde já muito obigada

    Responder
    • Comunicare

      Prezada Sra. Mara, bom dia! Tudo bem com a senhora?
      Agradecemos a sua mensagem!

      Podemos agendar a sua avaliação auditiva gratuita, a senhora visita a nossa unidade de sua preferência e conversa com um dos nossos fonoaudiólogos experientes e leva o aparelho auditivo para um teste gratuito, no conforto da sua casa.

      Agende agora mesmo: Acesse o nosso site, na página de contato:
      💻 queroouvirbem.com.br/contato

      ou ligue nos números abaixo:

      📞 4007 – 2366 (Capitais e Regiões Metropolitanas) ou 0800 001 4050 (demais localidades).

      Será um prazer recebê-la em uma de nossas unidades de sua preferência!
      Att, equipe Comunicare

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

M

Onde você está?

Dessa forma você terá acesso aos produtos e serviços da sua região.

M

Localizando...

Unidade mais próxima

Agendar Teste Gratuito