FALTAM R$ 199 PARA O FRETE GRÁTIS

FALTAM R$ 199 PARA O FRETE GRÁTIS

Tudo sobre aparelhos auditivos

Atualmente há tantos modelos de aparelhos auditivos, com diferentes funções e tecnologias, que acabam gerando muitas dúvidas em pessoas que pretendem adquirir um dispositivo para melhorar a sua qualidade auditiva.

Em geral, as pessoas querem entender melhor sobre os tipos de aparelhos auditivos, modelos, como funciona, tecnologias aplicadas, colocação, conservação, preço médio, como escolher o melhor modelo, entre outras questões.

Pensando nisso desenvolvemos este guia para esclarecer algumas das principais dúvidas em relação aos aparelhos auditivos. Continue a leitura para saber mais!

Tipos de aparelhos auditivos

Há diferentes tipos de aparelho auditivo e eles estão em uma constante evolução. Muitos dispositivos já podem ser comparados a pequenos processadores de alta tecnologia, que proporcionam ao deficiente auditivo uma reprodução do som cada vez mais nítida e natural.

Os novos modelos de aparelhos são focados no atendimento às necessidades de audição, de acordo com o grau da perda auditiva e estilo de vida do paciente. Veja a seguir os principais tipos de aparelhos.

Retroauricular (BTE)

Esse aparelho auditivo é um dos mais utilizados, pois conseguimos com ele todos os tipos de recursos e potência. Portanto, pode ser adaptado para a maioria das perdas auditivas. Ele fica posicionado atrás da orelha e transmite um som até próximo ao tímpano. Pode ser indicado para pessoas com perda auditiva leve a profunda.

Aparelho para zumbido

Esse tipo de aparelho foi especialmente projetado para aliviar o zumbido por meio de terapias e tem uma avançada tecnologia  que proporciona a redução do ruído, foco automático na conversa e elevação da voz do interlocutor.

Essa tecnologia reduz a reverberação do ambiente para que o paciente possa escutar com clareza e ficar confortável em locais com muitos ruídos, como em restaurantes, em eventos e na rua.

O dispositivo pode ser utilizado como ferramenta para a estimulação acústica, tanto no modo gerador de som, para pacientes com audiometria normal, quanto no misto, para pessoas com perda auditiva e zumbido.

Atualmente, todos os modelos de aparelhos auditivos, como os da Signia e Widex, oferecem alívio do zumbido por geradores de sons estáticos ou modulados, que podem ou não ser ativados, de acordo com as necessidades individuais.

Microcanal (CIC)

Esse modelo é indicado para as pessoas com perda auditiva de leve a moderada e que têm um canal auditivo mais largo. É um aparelho pequeno, elaborado em uma peça única, que se encaixa no canal auditivo, deixando uma pequena parte aparente.

Proporciona uma boa adaptação em relação ao tamanho, pois a cápsula pode ser moldada de acordo com as características anatômicas individuais da orelha dos pacientes. Entretanto, não é indicado aos pacientes com canal auditivo muito estreito ou que apresentem infecções recorrentes no ouvido.

Intracanal (ITC)

Nessa versão, o dispositivo é posicionado no canal auditivo, tem um controle de volume, é levemente visível e atende às necessidades para a perda auditiva leve, moderada ou severa.

Intra-auricular (ITE)

O modelo intra-auricular apresenta uma grande potência, sendo indicado para perdas auditivas  de leves a severas. Esse dispositivo é um pouco maior, confeccionado sob medida e formado por uma única cápsula que preenche toda a concha da orelha.

Ele é considerado, entre os modelos “intra”, o de maior potência de amplificação do som. O dispositivo pode incluir um botão para controle manual de volume e programação.

Também apresenta a vantagem de facilitar o encaixe na orelha, auxiliando os pacientes com habilidades manuais comprometidas, entretanto, é mais visível que os modelos microcanal (CIC) e intracanal (ITC).

Receptor no canal (RIC)

Indicado para perdas auditivas leves a severas, o receptor no canal é uma versão evoluída do modelo retroauricular — além de ser menor, também apresenta diferentes potências.

Ele é posicionado atrás da orelha e ligado aos receptores de sons (no canal do ouvido), por meio de um fio fino e transparente. Para esse modelo existem vários tamanhos de receptores e sondas, visando facilitar a sua adaptação em cada paciente.

Audição unilateral

Indicados para a perda auditiva unilateral, os dispositivos com tecnologia CROS são pequenos e elegantes. Permitem que o paciente tenha melhor percepção do som independente da direção que ele vem. Entregando assim, mais pistas acústicas para o paciente ter uma melhor compreensão da fala mesmo em ambientes mais ruidosos.

Como o aparelho auditivo funciona na prática

Os aparelhos auditivos são dispositivos eletrônicos que têm como principal função amplificar as ondas sonoras, para que as pessoas com perda auditiva possam ouvir os sons.

Eles são compostos basicamente por três partes, como o microfone, o amplificador e o receptor. O som é captado por um microfone que o transforma em sinais elétricos e os envia a um amplificador. Por sua vez, o amplificador aumenta a potência dos sinais e os envia para o ouvido por meio do receptor.

Quanto custa em média um aparelho de audição

O custo de um aparelho auditivo varia de acordo com a marca, tipo e qualidade do modelo. Estima-se que o preço do aparelho auditivo possa oscilar entre R$ 3.000 e R$ 15.000 e o que encarece o produto são fatores relacionados à tecnologia aplicada e funções que ele apresenta, como:

  • ajuste por botão ou controle remoto;
  • conectividade com celular e TV;
  • dispositivos livres de bateria;
  • gerador de som para auxiliar no tratamento de zumbido;
  • ligações telefônicas diretas no aparelho auditivo;
  • proteção contra umidade, poeira e oxidação;
  • recursos especiais para o entendimento da fala em ambientes com ruídos ao fundo;
  • sensor de movimento, para melhorar a audição quando a pessoa se encontra em alguma atividade.

Os aparelhos com mais tecnologia, além de proporcionar uma nítida audição, apresentam as seguintes potencialidades e características:

  • captam a direção do som;
  • diferenciam os sons da fala e dos ruídos;
  • distinguem um ruído contínuo de um repentino;
  • focam automaticamente no som da fala;
  • reduzem os sons desconfortáveis.

Nesse sentido, a escolha de um aparelho auditivo deve considerar, principalmente, as características da perda auditiva e as necessidades individuais de cada paciente, observando sempre, que o objetivo final é melhoria da qualidade de vida.

Como colocar um aparelho auditivo

Colocar um aparelho auditivo não é algo difícil. Basta um pouco de prática que o processo se torna automático e simples. Para quem ainda não está acostumado, é importante seguir o passo a passo:

  • coloque a pilha;
  • encaixe o molde auricular no aparelho auditivo — para os modelos intracanal e microcanal, verifique a cor, colocando a azul na orelha esquerda e a vermelha, na orelha direita;
  • encaixe o molde dentro do conduto auditivo, puxando a orelha levemente para trás e para cima com a outra mão, para facilitar o procedimento;
  • verifique se o molde está encaixado corretamente;
  • se o aparelho for retroauricular posicione-o atrás da orelha, tomando o cuidado para não torcer o tubo do molde;

Nas primeiras vezes em que o molde auricular ou o aparelho intra/microcanal é colocado no conduto auditivo, pode ocorrer uma sensação estranha, pois o paciente não está acostumado a ficar com alguma coisa dentro da sua orelha.

Gostou dessa matéria?

Assine nossa newsletter e receba matérias e novidades relacionadas diretamente no seu endereço de e-mail e também em seu WhatsApp.

Caso isso aconteça, o molde ou aparelho deverá ser retirado e recolocado. Se o desconforto ou a dor persistir, o fonoaudiólogo deverá ser consultado com urgência.

Cuidados especiais

Os aparelhos auditivos são frágeis. Por isso, é importante que as primeiras colocações sejam feitas em locais forrados com uma toalha ou coberta, em cima da cama ou em direção a algo macio, a fim de amortecer o impacto em caso de queda do aparelho auditivo.

Além disso, é importante observar os seguintes passos para retirar o aparelho:

  • retire primeiro o molde auricular com o indicador e o polegar — jamais puxe pelo tubo plástico;
  • puxe o molde auricular da orelha vagarosamente;
  • guarde o aparelho auditivo na sua caixa original, com o compartimento de pilha aberto.

Limpeza do aparelho de audição

O prolongamento da vida útil dos aparelhos auditivos depende de cuidados diários para garantir um bom desempenho. Para tanto, é preciso higienizar os aparelhos diariamente, com um pano macio e seco para limpar a parte externa.

Jamais deve ser utilizado álcool ou produtos de limpeza, pois eles prejudicam os componentes e circuitos internos. Veja como limpar as diferentes partes do aparelho:

  • aparelho auditivo (onde a pilha fica encaixada) — limpe somente com um pano seco e macio;
  • molde (peça de silicone ou acrílico que se conecta ao aparelho por um tubo plástico) — pode ser limpa com um papel úmido. Utilize um papel para cada molde para evitar contaminação, caso algum dos ouvidos apresente inflamação ou secreções;
  • tubo plástico — se o orifício da ponta estiver obstruído por cera, retire-a com papel ou uma escovinha para garantir que o som passe livremente.

Cuidados especiais com a higienização

É importante lavar o molde mensalmente, com água, escovinha e sabão neutro. Caso o ouvido produza algum tipo de secreção ou apresente infecções recorrentes procure um médico em um fonoaudiólogo para a confecção de moldes novos. Para as limpezas regulares, siga os passos:

  • desconecte as partes e deixe o aparelho no estojo para evitar acidentes;
  • lave o molde conforme já mencionado e enxague bem em água corrente e espere secar;
  • retire a água que ficou no tubo com uma bombinha de ar;
  • reconecte as peças.

Utilize um kit desumidificador com frequência para evitar que a entrada de umidade nos aparelhos auditivos danifique os seus componentes.

Como escolher o melhor aparelho auditivo

Para saber qual aparelho auditivo melhor se adapta às suas necessidades, é preciso considerar alguns aspectos importantes, como os que comentaremos a seguir.

Considere seu estilo de vida

Cada paciente tem uma rotina com diferentes necessidades. Dessa forma, além do grau de perda auditiva, é preciso considerar outros fatores no momento de selecionar e programar um aparelho auditivo. Alguns exemplos desses fatores são:

  • frequência a lugares movimentados e com sons altos;
  • uso de fones de ouvidos e aparelhos eletrônicos;
  • acompanhamento de programas de TV.

Conheça os tipos de aparelhos

Há diversos modelos de aparelhos auditivos, com estilos e funcionalidades direcionadas a cada tipo de problema auditivo e necessidades do usuário. Alguns são colocados na parte interna do ouvido, ficando praticamente invisíveis e outros ficam com uma porção aparente na orelha.

Nesse sentido, além do aspecto visual, é necessário conhecer o funcionamento e a indicação do modelo para cada tipo de perda auditiva.

Considere a credibilidade da clínica

É possível encontrar diversos modelos e preços interessantes de aparelhos auditivos na internet. Entretanto, produtos muito baratos, em geral, são de procedência duvidosa.

Todo o processo de aquisição de um aparelho auditivo é algo muito sério. Dessa forma, as fases de escolha do modelo, ajustes e adaptações devem ser acompanhadas de perto por um fonoaudiólogo. Por isso, não é aconselhável adquirir próteses pela internet.

Busque por empresas sérias, com credibilidade no mercado, estrutura física adequada e profissionais especializados e capacitados para ajudar a encontrar o aparelho auditivo adequado.

Faça um teste

As melhores empresas que comercializam aparelhos auditivos oferecem um período de teste domiciliar gratuito. Esse tempo de adaptação é muito bom e importante para que o paciente se acostume com o aparelho e perceba a diferença em sua audição. Embora as mudanças demorem um pouco para serem notadas, logo nos primeiros dias já é possível ouvir melhor.

Procure um profissional qualificado

Os aparelhos auditivos são dispositivos eletrônicos voltados para a saúde altamente sofisticados e, por esse motivo, precisam do acompanhamento de um profissional especialista. O fonoaudiólogo, especialista em audiologia, é capacitado para analisar as causas da perda auditiva, realizar o exame de audiometria, indicar o modelo adequado de aparelho auditivo e efetuar as adaptações necessárias.

Seja comprometido

Após comprar o aparelho auditivo é importante se comprometer ao máximo, principalmente durante o período de adaptação, já que essa é a fase mais complicada e alguns pacientes podem ter a sensação que não estão conseguindo bons resultados.

Isso prejudica totalmente o processo de adaptação, levando a pessoa a deixar na gaveta o aparelho, parar de usar e continuar com a perda auditiva e seus possíveis agravamentos. Para que tudo ocorra de forma correta, é fundamental seguir as recomendações do profissional e utilizar diariamente o aparelho auditivo. Só assim é possível obter os resultados desejados.

Controle as suas expectativas

É fundamental ser realista em relação à função do aparelho auditivo e resultados que ele pode proporcionar. Mesmo com os mais avançados recursos tecnológicos, os aparelhos não têm a capacidade de curar alterações ou doenças auditivas. Eles servem apenas para amplificar os sons da melhor forma possível.

Por esse motivo, é normal sentir dificuldade de readaptação aos diferentes tipos de sons no início. Entretanto, é possível que o paciente se adapte tão bem que até se esqueça que está utilizando um aparelho auditivo, a ponto de não sentir mais os sintomas da perda auditiva.

Também é importante evitar se comparar com outras pessoas, pois a causa da perda auditiva, bem como os resultados do tratamento sempre serão diferentes para cada indivíduo.

Converse com pessoas que passaram pelas mesmas dúvidas

Conversar com pessoas que também usam aparelhos auditivos pode ajudar a ter uma melhor experiência e entender mais facilmente o processo de adaptação.

Verifique o que está incluso no custo

É fundamental saber exatamente pelo que se está pagando, além de ter tudo descrito no contrato de compra. Dessa forma, verifique as tecnologias que o aparelho contém, bem como suas funções.

Como vimos, há vários tipos de aparelho auditivo e as principais diferenças entre os modelos que justificam a variação de preços são as tecnologias aplicadas. Nesse sentido, a escolha de um aparelho auditivo deve considerar o grau de perda auditiva do paciente, seu estilo de vida, bem como a idoneidade da empresa que comercializa o produto e a qualidade no atendimento.

Gostou deste artigo? Agora que você já conseguiu esclarecer as principais dúvidas sobre os aparelhos auditivos, que tal complementar o seu conhecimento, lendo mais um artigo em nosso blog que explica sobre o tamanho do aparelho auditivo?

 

12 Comentários
  • Silvia Pedro da Silva santos

    Assim eu tenho perda do ouvido direito eu teria q adquirir qual aparelho o que eu escuto ou ouvido que perdir audição,tenho essa. Duvida qual q tenho q comprar

    16/02/2020 16:02
    reply
  • Jose pedro

    Ola tudo bem?! Queria esclarecer uma dúvida. Se seria possível com algum aparelho, uma pessoa de idade (82 anos) que trabalhou grande parte da vida em fábricas e indústrias, e com isso teria “perdido” parcialmente à audição, tem solução para amenizar essa situação?
    Grato att. Jose Pedro.

    23/05/2020 22:05
    reply
  • Éles oliveira da silva

    Estava querendo saber o valor

    27/06/2020 13:06
    reply
  • Nathalie

    Bom dia… Minha tia perdeu definitivamente a audição de um ouvido… Mas a outra ela tem dificuldade para escutar… E disseram a ela que teria que usar o aparelho acústico nos dois ouvidos… Minha pergunta é… Ela tem mesmo que usar o aparelho nos dois ouvidos mesmo tendo perdido definitivamente a audição de um ouvido? Obrigada.

    29/07/2020 13:07
    reply
  • João Pantoja Neto

    Boa tarde, meu problema é ; escuto os sons mas não entendo as palavras e só escuto se quem estiver falando esteja aproximadamente a um metro e meio distante de onde estou como resolver tudo isso

    29/07/2020 17:07
    reply
  • NELSON

    HÁ ALGUMA LOJA FÍSICA NO RIO DE JANEIRO CAPITAL?

    17/08/2020 16:08
    reply
Publicar um comentário
Name
E-mail
Website

Onde você está?

Dessa forma você terá acesso aos produtos e serviços da sua região.

No momento a Comunicare não conta com unidades de atendimento na sua região.

Navegue em nosso site e compre online pilhas e acessórios com entrega gratuita acima de R$ 199,00 em todo o Brasil.